Princípios Fundamentais da Doutrina Espírita

  1. DEUS
  2. JESUS
  3. ESPIRITO
  4. PERISPÍRITO
  5. EVOLUÇÃO
  6. LIVRE-ARBITREO
  7. CAUSA E EFEITO
  8. REENCARNAÇÃO
  9. PLURALIDADE DOS MUNDOS HABITADOS
  10. IMORTALIDADE DA ALMA
  11. VIDA FUTURA
  12. PLANO ESPIRITUAL
  13. MEDIUNIDADE
  14. INFLUÊNCIA DOS ESPÍRITOS NA NOSSA VIDA
  15. AÇÃO DOS ESPÍRITOS NA NATUREZA


O Espiritismo se caracteriza pelo ideal de compreensão da realidade mediante a integração entre as três formas clássicas de conhecimento, que seriam a ciência, a filosofia e a moral. Segundo Kardec, cada uma delas, tomada isoladamente, tende a conduzir a excessos de ceticismo, negação ou fanatismo.
A doutrina espírita se propõe, assim, a estabelecer um diálogo entre as três, visando à obtenção de uma forma original que, a um só tempo fosse mais abrangente e mais profunda, para desta forma melhor compreender a realidade. Kardec sintetiza o conceito com a celebre frase: “Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão em todas as épocas da humanidade”.

Obras básicas

A seguir são apresentadas algumas das principais obras publicadas por Allan Kardec, entre as quais encontram-se as chamadas obras básicas do espiritismo.

O Livro dos Espíritos

Publicação do Livro dos Espíritos de 1860 em Paris.

O Livro dos Espíritos, publicado em 1857, nele estão contidos os princípios fundamentais da Doutrina Espírita

Instruções Práticas sobre as Manifestações Espíritas

Este livro foi publicado em 1858 por Allan Kardec, porém com uma pequena tiragem. Em vez de reeditá-lo, Kardec preferiu diluir o seu conteúdo nas novas edições d'O Livro dos Espíritos e, futuramente, em O Livro dos Médiuns.

O Que é o Espiritismo?

O livro O Que é o Espiritismo?, publicado em 1859, é uma introdução didática sobre a Doutrina Espírita.

O Livro dos Médiuns

O Livro dos Médiuns ou "Guia dos Médiuns e dos Evocadores", foi publicado em 1861 e versa sobre o caráter experimental e investigativo do espiritismo, visto como ferramenta teórico-metodológica para se compreender uma "nova ordem de fenômenos", até então jamais considerada pelo conhecimento científico: os fenômenos ditos espíritas ou mediúnicos, que teriam como causa a intervenção de espíritos na realidade física.

Evangelho Segundo o Espiritismo

O livro O Evangelho Segundo o Espiritismo, publicado em 1864, avalia os evangelhos canônicos sob a óptica da doutrina espírita, tratando com atenção especial a aplicação dos princípios da moral cristã e de questões de ordem religiosa como a prática da adoração, da prece e da caridade.

O Céu e o Inferno

O livro O Céu e o Inferno ou "A Justiça Divina segundo o Espiritismo", foi publicado em 1865 e compõe-se de duas partes: na primeira, Kardec realiza um exame crítico da doutrina católica sobre a transcendência, procurando apontar contradições filosóficas e incoerências com o conhecimento científico superáveis, segundo ele, mediante o paradigma espírita da fé raciocinada. Na segunda, constam dezenas de diálogos que teriam sido estabelecidos entre Kardec e diversos espíritos, nos quais estes narram as impressões que trazem do além-túmulo.

A Gênese

O livro A Gênese, ou "Milagres e as Predições segundo o Espiritismo", foi publicado em 1868 e aborda diversas questões de ordem filosófica e científica, como a criação do universo, a formação dos mundos, o surgimento do espírito e a natureza dos ditos milagres, segundo o paradigma espírita de compreensão da realidade.