sábado, 24 de abril de 2010

Ubaldo Ramalhete Maia

Em 19 de junho de 1950 falecia no Rio de Janeiro o Professor Dr. Ubaldo Ramalhete Maia, nascido em Santa Leopoldina, Estado do Espírito Santo, a 18 de agosto de 1882.
Foi ardoroso propagandista da Terceira Revelação, e em sua vida privada deu sempre os mais exuberantes testemunhos de haver assimilado as verdades evangélicas. Colocou sempre em primeiro plano o seu ideal espírita, ainda mesmo que com essa atitude franca lhe adviessem prejuízos em sua vida pública e particular.Com seu espírito conciliador e ponderado, tudo solucionava de maneira cristã no seio da Diretoria.

Era humilde e de fino trato social, a par de profundo conhecedor do Evangelho. Sua palavra, tanto na tribuna da Federação, em sessões públicas, como nas reuniões de estudo do Grupo Ismael, era por todos ouvida com real agrado e proveito.

Em virtude de seu estado de saúde não lhe permitir uma cooperação mais direta e eficiente como era de seu desejo, foi, ainda assim, eleito pela Assembléia Deliberativa, realizada em 1949, membro do Conselho Fiscal da Federação Espírita Brasileira.

Participava com assiduidade das sessões do Grupo Ismael, cabendo-lhe por vezes a presidência dos trabalhos.

Representou o Estado do Espírito Santo no Conselho Federativo Nacional, órgão unificador do movimento espírita no território brasileiro, sendo-lhe ali admirada a criteriosa ponderação e nobreza espiritual no trato das mais delicadas questões.

Muitos foram os Centros e Sociedades espíritas do Rio que lhe ouviram a palavra serena em belas conferências doutrinárias.

Bacharelando-se pela Escola Livre de Direito do Rio de Janeiro, hoje Faculdade Nacional de Direito, Ubaldo Ramalhete retornou ao seu Estado natal, onde desenvolveu intensíssima atividade. É assim que foi, ali: Procurador Geral; Promotor Público; Deputado Estadual e presidente da Assembléia Legislativa; Secretário Geral do Governo Jerônimo Monteiro; Secretário de Educação; Consultor Jurídico do Estado; Secretário de Interior e Justiça, em 1946, assumindo o Governo na ausência do Interventor, Doutor Aristides Campos; fundador do Instituto dos Advogados; fundador da Associação de Imprensa; fundador e primeiro presidente da Sociedade Amigos de Alberto Torres; membro do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo. Representou o seu Estado, como Deputado Federal, em várias legislaturas. Aqui, na Guanabara, foi professor de Direito Civil e de Direito Comercial na Faculdade de Direito do Rio de Janeiro, atual Faculdade de Direito da Universidade do Estado da Guanabara e destacado membro do Conselho Federal da Ordem do Advogados.

Em todos os cargos que ocupou e nas diferentes funções que desempenhou, o Dr.Ubaldo Ramalhete Maia foi sempre uma figura querida pela sua finura e lhaneza de espírito, admirado e acatado pelos seus dotes intelectuais e morais e pela inteireza de caráter.

Ao desencarnar, deixou sua descendência bem encaminhada na vida. Seu filho, Dr. Clóvis Ramalhete, seguiu-lhe as pegadas, vindo a ser eminente jurista e distinto membro da Corte Internacional de Haia.

Em sua reunião de 27 de julho de 1950, o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil prestou merecida homenagem ao Dr. Ubaldo Ramalhete, membro daquele Conselho. O Jornal do Commercio, em sua edição de 28 de Julho, publicou a ata daquela reunião.

A passagem do Dr. Ubaldo Ramalhete pela Federação Espírita Brasileira se caracterizou pela lealdade, pela firmeza de convicções, pela sua grande cultura evangélica e pelo amor ao trabalho.
Na diretoria da Federação Espírita Brasileira, Casa que ele sempre defendeu e honrou em quaisquer circunstâncias, exerceu os cargos de 1º. Secretário e Vice-Presidente, desempenhando-os com elevado descortino e esclarecida inteligência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário