sábado, 24 de abril de 2010

Guillon Gonçalves Ribeiro

Filho de Luiz Antônio Gonçalves Ribeiro e de Olímpia Guillon Gonçalves Ribeiro, família humilde, ingressou, gratuitamente, no Seminário de São Luís, onde realizou os primeiros estudos. Tendo ficado órfão de pai aos sete anos de idade, a mãe transferiu-se com os filhos para o Rio de Janeiro, vindo Guillon Ribeiro a estudar na Escola Militar da Praia Vermelha. Permaneceu apenas três meses na carreira militar, matriculando-se diretamente no segundo ano da Escola Politécnica do Rio de Janeiro, onde concluiu o curso de Engenharia Civil. À noite trabalhava como redator no Jornal do Commercio para complementar os recursos da família.

Desposou a Sra. Raimunda Portela em 11 de Abril de 1910, com quem teve cinco filhos.

Após o falecimento da mãe, tomou contato com a Doutrina Espírita, da qual se tornou adepto em 1911. Destacou-se como orador e como responsável pela tradução de quase todas as obras de Allan Kardec e ainda pela de Jean-Baptiste Roustaing.
Exerceu o cargo de presidente da Federação Espírita Brasileira de 1920 a 1921 e novamente a partir de 1930 até falecer, em Outubro de 1943.


A nossa tradução da obra O Evangelho segundo o Espiritismo foi feita da terceira edição francesa, ou seja, daquela que foi revista, corrigida e modificada por Allan Kardec (Revue Spírite ano de 1865, pág, 356).


Encarregou-se dessa tradução o saudoso presidente da Federação Espírita Brasileira – Dr.Guillon Ribeiro, engenheiro civil, poliglota e vernaculista.


Já formado, aceitou o cargo de 2º oficial da Secretaria do Senado Federal, onde chegou a exercer o cargo de Diretor-Geral, cargo em que se aposentou, em 1921. Ruy Barbosa, em discurso pronunciado na sessão de 14 de Outubro de 1903, referindo o seu trabalho de revisão do projeto do Código Civil, referiu:


"Devo, entretanto, Sr. Presidente, desempenhar-me de um dever de consciência - registrar e agradecer da tribuna do Senado a colaboração preciosa do Sr. Doutor Guillon Ribeiro, que me acompanhou nesse trabalho com a maior inteligência, não limitando os seus serviços à parte material do comum dos revisores, mas, muitas vezes suprindo até a desatenções e negligências minhas" (in: Anais do Senado Federal, v. II, p. 717)

Como vemos, Guillon Ribeiro recebeu,aos vinte e oito anos de idade, o maior prêmio, o maior elogia a que poderia aspirar um escritor, e a Federação Espírita Brasileira, vinte anos depois, consagrou-lhe o nome, aprovando unanimemente as suas impecáveis traduções de Kardec.

Jornalista emérito, Guillon Ribeiro foi redator do Jornal do Comércio e colaborador dos maiores jornais da época. Exerceu, durante anos, o cargo de Diretor-Geral da Secretaria do Senado e foi Diretor da Federação Espírita Brasileira, no decurso de 26 anos consecutivos, tendo traduzido as seguintes obras:

Traduções de Allan Kardec:


O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho segundo o Espiritismo, A Gênese, Obras Póstumas, O que é o Espiritismo, O Principiante Espírita, O Espiritismo em sua Expressão mais Simples e Doutrina Espírita.

De Arthur Conan Doyle: A Nova Revelação.

De Arthur Findlay: No Limiar do Etéreo.


De C. Pscone Chodo: A Verdade Espiritualista, Espiritismo e Criminalidade.
De Ernesto Bozzano: A Crise da Morte, Animismo ou Espiritismo?, Xenoglossia, Psicologia e Espiritismo.


De Gabriel Delanne: O Espiritismo perante a Ciência, A Alma é Imortal.


De Jean-Baptiste Roustaing: Os Quatro Evangelhos ou Revelação da Revelação.


De J. E. Guillet: Os Quatro Evangelhos e o Livro dos Espíritos.


De George Dejean: A Nova Luz.


De Léon Denis: Joana d’Arc, Médium e O Além e a Sobrevivência do Ser.


De Luiz Gastin: Livre Arbítrio e Determinismo.


De Pietro Ubaldi: A Grande Síntese.

De autoria própria


Jesus - nem Deus, nem Homem
 Espiritismo e Política
 A Mulher, sua Missão - sua Felicidade
 A Federação Espírita Brasileira


Obras compiladas


Trabalhos do Grupo Ismael


Ensinamentos do Além e Advertências do Aquém

Nenhum comentário:

Postar um comentário