sábado, 24 de abril de 2010

Luiz di Cristóforo Postiglioni

Nascido na República Argentina, a29 de novembro de 1909, e desencarnado no mesmo país, a 10 de fevereiro de 1979.

Luiz di Cristóforo Postiglioni foi um dos mais destacados espíritas argentinos dos últimos tempos. Sua atuação foi das mais intensas e os cargos por ele desempenhados foram dos mais relevantes.

O emérito companheiro foi presidente da Federação Espírita Internacional (1972-19778), tendo, nessa qualidade efetuado visitas a numerosos países, dentre elas a Inglaterra, França, Itália, Grécia, África do Sul e numerosas nações da América Latina, notadamente o Brasil.


Teve extraordinária atuação na Sociedade Constância, de Buenos Aires, inclusive no cargo de vice-presidente. Foi ainda secretário do conhecido periódico portenho Constancia. Dentre as instituições onde militou podemos destacar o Grupo de Estudos Camille Flammarion, do qual foi fundador; Colégio Argentino de Estudos Psíquicos, do qual foi secretário; Confederação Espírita Panamericana, atuando como secretário em seu primeiro período, e como seu delegado junto ao 2º Congresso Espírita Panamericano, realizado no Rio de Janeiro, em 1949.

Postiglioni foi decano do Instituto Neo-Pitagórico da Argentina; secretário-geral e em seguida presidente da Confederação Espírita Argentina, a qual representou nos Congressos Internacionais da Federação Espírita Internacional, realizados em Copenhage (1966) e Glasgow (1969); delegado ao 1º Congresso Mundial de Biologia e Medicina Nuclear (1964).


Quando da sua desencarnação exercia a presidência da Sociedade Perdoo-te, de La Plata e pertencia ao Movimento do Serviço do Espiritismo, em sua pátria.
O renomado seareiro era conferencista brilhante, tendo defendido teses e monografias várias. Deu sempre sua colaboração incondicional às revistas La Idea e Constância.
Em parceria com o Engenheiro José S. Fernandes, o Dr. Postiglioni apresentou, no 2º Congresso Internacional para estudos da reencarnação, o trabalho Fundamentos científico-filosóficos da reencarnação, além de Raiz e destino de Kardec, A ciência e a alma, e A reencarnação em Glasgow.
Na qualidade de presidente da Confederação Espírita Argentina, visitou o Paraguai e também representou-a em Santiago do Chile, na 2ª Conferência Regional da Confederação Espírita Panamericana.

Era figura bastante conhecida entre os espíritas brasileiros e acompanhava de perto o movimento espírita de nosso país.

Homem de grande talento, era dotado de infatigável disposição para o trabalho. Para isso bastava ver a intensidade dos seus escritos, nos mais importantes periódicos da vizinha República, sua atuação como conferencista e sua luta em favor da implantação dos ideais contidos na Doutrina Espírita, uma vez que defendia incondicionalmente a codificação kardequiana e o postulado da reencarnação sempre que se lhe deparava oportunidade.

A sua partida representou duro golpe para os espíritas argentinos, acostumados a vê-lo presente em todos os movimentos que se realizavam quer na grande república platina, quer em numerosos outros países.

Fonte: Personagens do Espiritismo

Nenhum comentário:

Postar um comentário